Mário Caeiro

Doutorado em Artes Visuais e Intermédia pela Universidade Politécnica de Valência. Designer de Comunicação (ESBAL), com segunda licenciatura em  Línguas e Literaturas Modernas – Variante de Estudos Portugueses e Alemães e Mestrado em Estudos Alemães (FCSH-UNL) e Pós-graduação em Design Urbano (CPD/FBAUL/Universidade de Barcelona. Concebe e produz projectos culturais e de espaço público desde 1984. Comissário de exposições e criador de iniciativas de cariz transdisciplinar, com destaque para «Retratos da Alma» [1995], «Um Cálice de Dor» [1999], «Lisboa Capital do Nada» [2001] e «Luzboa Bienal Internacional da Luz» [2004 e 2006]. Desde 2007, tem comissariado várias exposições individuais e colectivas na Biblioteca FCT-UNL da Universidade Nova de Lisboa, onde integra a Comissão de Comunicação e Cultura. Em 2008 e 2009, foi membro das comissões organizadoras das conferências «Efémero.Criação.Acontecimento» e «Político.Criação.Valor». Recentemente comissariou as exposições Objet Perdu (2010) e Objet Trouvé (2012) na Plataforma Revólver e Mauna na Galeria Pedro Serrenho (2011). É actualmente curador de VICENTE (2011, 2012) para o Projecto Travessa da Ermida e do Festival SKYWAY (Polónia), iniciativa anual desde 2009 na cidade de Torun. É fundador e membro da direcção da Palavrão – Associação Cultural. É docente na ESAD.CR desde 2004.