França, Alemanha, Portugal, Inglaterra… Venda de objectos de colecções museológicas importantes para fazer face a cortes no financiamento cultural. Cada vez mais obras a saírem do domínio público para paredes privadas. A notícia do New York Times para ler aqui:

Seeing a Cash Cow in Museums’ Precious Art