Destaque para a entrevista de Alexandre Carita a Jean François Chougnet, sobre os desafios que se colocam hoje a um gestor cultural. A ler aqui.

“O trabalho do gestor/programador cultural já não é o que era, Numa Europa onde o discurso político enaltece a cultura, os orçamentos para a área dependem cada vez mais de mecenas, a quem o programador tem de bater à porta com projetos aliciantes. A mudança de paradigma veio para ficar”