Não é a monumentalidade da obra que distingue o trabalho de Shigeru Ban. Grande parte da sua arquitectura não se inscreve na paisagem de forma permanente, com a ambição de intemporalidade. Shigeru Ban trabalha noutra escala.

A notícia do Público para ler aqui.