“No fim de Novembro, o Forum de Avignon lembrava que a economia da cultura e as indústrias criativas representam 6,1% do PIB mundial e 4% do PIB da União Europeia, gerando 8 milhões de empregos directos.  Galerias de arte, museus, salas de concertos, livrarias, bibliotecas, cinemas, teatros… Os aglomerados urbanos concentram o essencial das instituições e empresas desta fileira.”

Um artigo sobre a economia da cultura e as indústrias criativas em Paris para ler aqui (no Les Echos)