Segundo notícia do DN (aqui) da jornalista Elisabete Silva, a nova lei do cinema e audiovisual prevê um investimento de 27,7 milhões de euros.

“O principal destaque vai para as regras de atribuição de apoios financeiros a obras de cinema e televisão e a criação de obrigações de investimento direto por parte dos canais de televisão, sejam de sinal aberto ou por cabo, que vão resultar nos 27,7 milhões de euros a serem investidos no setor.

Ou seja, o investimento direto por parte dos canais de televisão resultará em oito milhões de euros; a cobrança da taxa de 4% de publicidade aos canais de televisão somará nove milhões de euros; 10,7 milhões de euros será o resultado da cobrança de uma taxa anual aos operadores de serviços de televisão por subscrição, isto é, de 3,5 euros por cada subscrição nova de serviços.

Outra das novidades é o aumento do apoio aos novos talentos e às primeiras obras. Segundo o secretário de Estado, 15% do valor a investir no próximo ano será direcionado às primeiras obras.  “