Num artigo publicado no passado dia 30 de Janeiro, Richard Florida analisa os efeitos da nova geografia económica nos EUA, resultante da clusterização da “classe criativa” para concluir que, para além de gerar mais perdedores do que vencedores, o modelo não é  “economica, politica ou moralmente” sustentável.

A ler aqui.