João Queiroz Silvae, 2004

João Queiroz
Silvae, 2004

2013 entre o sol e as ruínas

ANTÓNIO PINTO RIBEIRO

2013 vai ser um ano difícil (…). O sector do cultural – que inclui a criação artística contemporânea mas também a herança patrimonial, sempre tão frágil – está a ser destruído e corre o risco de se desmantelar completamente (da edição de livros à educação artística), pondo em causa a democracia. Não é, contudo, tempo de desistir. Por isso, é fundamental encontrar formas de resistir: imaginando, colaborando, criando e partilhando. Mais do que nunca, é imperativa uma atitude que concilie o debate público com as actividades de recepção e conhecimento.

(…)

Resista-se, com o sentido da rebeldia com causas: vendo exposições – pequenas, grandes, de artistas anónimos e de conhecidos – participando em debates – se forem maçadores, interrompa e exija que se intervenha com qualidade, que seja crítico e teoricamente produtivo -, comentando nos jornais, nos blogs e no facebook, excluindo-se das tiranias da intimidade ou das afirmações banais. Converse, discuta, convide os seus amigos, os amigos dos seus amigos para jantares ou piqueniques, e resista. Orgulhe-se de ser culto e irónico e alegre tanto quanto possível, e resista.

A ler aqui.