Apresentamos hoje um documento produzido por François Matarasso e Charles Landry para Conselho da Europa em 1999 sobre os 21 dilemas estratégicos da política cultural. Estes 21 dilemas estão agrupados em cinco categorias:

  • Enquadramento: (1) cultura como arte ou modo de vida; (2) democracia cultural ou democratização da cultura; (3) cultura como um valor em si ou a cultura como desenvolvimento; (4) a arte como bem público ou como atividade condicional;
  • Implementação: (5) consulta ou participação ativa; (6) controlo direto ou isolamento do processo político; (7) público ou privado; (8) prestígio ou comunidade; (9) nacional ou internacional;
  • Desenvolvimento social: (10) comunidade ou comunidades; (11) diversidade social ou monocultura; (12) património ou contemporaneidade; (13) visitantes ou residentes; (14) imagem externa ou realidade interna;
  • Desenvolvimento económico: (15) subsídio ou investimento; (16) consumo ou produção;
  • Gestão: (17) Centralização ou descentralização; (18) provisão direta ou contratação externa; (19) as artes ou o artista; (20) infraestrutura ou atividade; (21) artistas ou gestores.

Depois de uma década, o estudo mantém, apesar de algumas críticas relevantes, a pertinência e a atualidade, podendo tornar-se numa ferramenta útil de escrutínio da atuação das entidades públicas no setor cultural.

O documento pode ser lido aqui.